Topo_03

Comunidade_Nossa_Senhora_AparecidaFundada em abril de 1970 em Porto Alegre, tem como objetivo dar suporte à missão do Governo Provincial e ser centro de referência e acolhida às Irmãs das Comunidades diante de suas necessidades quando de passagem por Porto Alegre. 

Como Sede do Governo Provincial tem a missão de animar a vida da Congregação, coordenar os serviços apostólicos e sociais, estimular a participação das Irmãs na missão, promover a unidade entre os membros e zelar pela sua formação, e dinamizar a continuidade do Carisma e Espiritualidade Palotina. 

Leia mais...

 

ItapejaraFundada no dia 05 de fevereiro de 2011. Localiza-se no Sudoeste do Paraná. Tem como objetivo primeiro a formação das jovens vocacionadas à Vida Religiosa.

Como Comunidade formativa estar mais próxima à realidade das jovens, e em lugar promissor de vocações para realização do Carisma Palotino e continuação da obra.

Leia mais...

Corao_de_JesusIniciou em 15 de março de 1955 como Casa de Formação "Noviciado Sagrado Coração de Jesus", com o objetivo de formar jovens para a Vida Consagrada Palotina.

Diante dos novos desafios foi dado novo rumo a esta comunidade, sendo transferida para Porto Alegre. A casa que antes acolhia as noviças passou a acolher jovens do interior do Estado que vinham a Santa Maria para estudos, sendo assim, denominou-se "Pensionato Nossa Senhora de Fátima.

Leia mais...

627_0771_FaxinalNo ano de 1950 as Irmãs chegaram em Faxinal do Soturno para serem presença junto aos seminaristas e colaborar na sua formação sacerdotal. Além desta missão, atuavam junto a pastoral paroquial e Hospital São Roque.

Em 1965, respondendo a necessidade do povo local, foi criada uma Escola de datilografia. Novos desafios foram surgindo e a missão no seminário foi encerrada. As Irmãs continuaram atendendo ao povo através das aulas de datilografia.

Leia mais...

Luis_GuillonA Comunidade de Formação Reina de los Apostoles desde o seu início - 12 de setembro de 1980 - teve uma presença marcante na pastoral catequética. As Irmãs sempre estiveram na coordenação geral da mesma, na formação dos catequistas e na catequese familiar.

Leia mais...

Turdeira_Diapositiva71Esta missão teve início no dia 17 de dezembro de 1942. Após reformas de um prédio doado às Irmãs, estas começaram em 1954 uma Escola Primária reconhecida pelo Estado. Em meio a inúmeras dificuldades, em 1962 deu origem ao curso secundário.

Leia mais...

Marituba_1No desejo de alargar a tenda missionária e respondendo aos apelos da Igreja e também às prioridades dos últimos Capítulos, a Província Nossa Senhora Aparecida das Irmãs Palotinas marca mais um passo na sua história de missão.

Leia mais...

casa_de_palotinaA missão em Palotina, no Paraná, teve início no ano de 1969. A princípio as Irmãs atuavam como professoras na Escola Municipal e dedicavam-se na formação de lideranças para as diversas pastorais que na época se faziam necessárias para formar a comunidade paroquial.

Leia mais...

Imagem_017No dia 06 de janeiro de 1957 a Diretoria do Hospital Nossa Senhora da Piedade confiou a gestão interna desta casa de saúde às Congregação das Irmãs do Apostolado Católico.

Leia mais...

Casa_FtimaEm 1951, as primeiras Irmãs Palotinas chegaram a Santa Maria e se instalaram na Rua Tuiutí nº 921, com a finalidade de aprimorarem sua formação intelectual e espiritual e iniciarem um trabalho educacional neste município.

Leia mais...

So_Francisco_Santa_MartaA pedido do Dr. Eliseu Paglioli, em 18 de janeiro de 1945 as Irmãs assumiram a direção administrativa do Hospital de Caridade São Francisco de Paula bem como o serviço de enfermagem e a farmácia, com moradia nas dependências do Hospital.

Em 1984 as Irmãs passaram a residir em uma casa adquirida para a comunidade que passou a chamar-se Comunidade Santa Marta.

Leia mais...

casa_da_chacara1_1Localizada na Vila Nova, Porto Alegre, esta casa foi adquirida em junho de 1986. Além de estar destinada para o descanso das Irmãs e cultivo de hortifrutigranjeiros, ofereceu espaço para os alunos desenvolverem projetos de ensino até o final de 2006.

Leia mais...

DSC019401_Comunidade_PallottiA Comunidade foi fundada em março de 1964 com a missão de as Irmãs atuar na administração do Instituto Vicente Pallotti, auxiliar na catequese e atendimento à Comunidade São Vicente Pallotti, hoje, Paróquia.

Atualmente contribuem nos ensaios de canto na paróquia São Vicente Pallotti e onde se fizer necessário. Uma das Irmãs trabalha em uma Casa Geriátrica como enfermeira.

Leia mais...

PIC00032A casa de encontros foi inaugurada no dia 8 de dezembro de 1974. Está localizada na Zona Sul de Porto Alegre. A princípio atendeu jovens em período de formação a Vida Religiosa Palotina – Noviciado.  Denominava-se então, Noviciado Rainha dos Apóstolos.

A etapa de formação do Noviciado continuou nesta comunidade até 1994, quando foi transferida para Curitiba, integrando-se com a Província São Vicente Pallotti.
Leia mais...

DSC01779.1A Comunidade Nossa Senhora do Cenáculo teve início em 1953 objetivando o trabalho na Educação e colaboração na Pastoral catequética e litúrgica.

Através da Escola ofereciam uma educação humanizadora e cristã aos moradores da Vila I.A.P.I., e preparavam as crianças para a Primeira Comunhão. Davam assistência às famílias mais necessitadas.

Leia mais...

Domingo de Ramos

DSC01911Domingo de Ramos

O Domingo de Ramos abre solenemente a Semana Santa, com a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém.

Jesus é recebido em Jerusalém como um rei, mas os mesmos que o receberam com festa o condenaram à morte. Jesus é recebido com ramos de palmeiras. Nesse dia, são comuns procissões em que os fiéis levam consigo ramos de oliveira ou palmeira, o que originou o nome da celebração. Segundo os evangelhos, Jesus foi para Jerusalém para celebrar a Páscoa Judaica com os discípulos e entrou na cidade como um rei, mas sentado num jumentinho - o simbolo da humildade - e foi aclamado pela população como o Messias, o rei de Israel. A multidão o aclamava: "Hosana ao Filho de Davi!" Isto aconteceu alguns dias antes da sua Paixão, Morte e Ressurreição. A Páscoa Cristã celebra então a Ressurreição de Jesus Cristo.

Fonte:.wikipedia.org/wiki/Semana_Santa

 

Aconteceu... na Pastoral Vocacional Interparoquial

Retiro SAV Campo GrandeAconteceu ... na Pastoral  Vocacional Interparoquial

Campo Grande - MS

Campo Grande 01 de abril de 2014.

No dia 23 de março houve um Retiro da Pastoral Vocacional Interparoquial com as quatro Paróquias Palotinas na Casa de Formação S.Vicente Pallotti: Paróquia Divino Espírito Santo – São Martinho de Lima – São Judas Tadeu e Santa Rita de Cássia. O Encontro/Retiro teve como objetivo recomeçar as atividades buscando renovar a nossa espiritualidade para melhor realizar a nossa missão.

Teve início às 07h30min com o café da manhã acolhendo os 23 participantes dentre eles, casais e representantes. Após nos colocamos em oração, reflexão e partilha trazendo presente a caminhada da pastoral vocacional.

O retiro foi muito valioso, aprendemos com as partilhas e vivências de cada um. Percebemos a importância do ouvir os apelos de Deus, através do que Deus se revela a cada pessoa. É sempre um reabastecimento na fé para missão.

Ir. Margarida Nonato da Silva - CSAC

Celebração Penitencial- Tempo da Quaresma

 

CELEBRAÇÃO PENITENCIAL - TEMPO DA QUARESMA


CANTO:  A nós descei, Divina Luz! A nós descei, Divina Luz! Em nossas almas acendei O amor, o amor de Jesus!

 

C1 - Irmãos e irmãs, nos reunimos para celebrar a misericórdia de Nosso Senhor. Como comunidade cristã, somos convidados a nos colocarmos diante da infinita bondade de Deus que nos acolhe e nos dá como dom, o seu perdão. Através de seu Filho Jesus, e com a graça do Espírito Santo, Deus nos chama a viver reconciliados e em comunhão com Ele. Com fé, saudemos a Santíssima Trindade, cantando.

 

CANTO: Em nome do Pai, em nome do Filho, em nome do Espírito Santo estamos aqui...

 

 C2 – Deus, rico em misericórdia, que nos arrancou do poder das trevas e nos transferiu para o Reino de seu Filho amado, no qual temos a redenção e a remissão dos pecados, na força do Espírito Santo, esteja conosco.

 

TODOS: Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

 

C1 – O tempo quaresma foi iniciado com a imposição das cinzas sobre nossa cabeça e o convite: “Convertei-vos e crede no evangelho”. Isto para nos lembrar que somos pó e ao pó voltaremos. Portanto, este é um tempo especial para renovar nossa vida cristã e purificar o nosso coração das impurezas que nele foram se acumulando, apesar do nosso esforço de conversão. Cristo libertador quer nos libertar de todo mal.

 

CANTO: É para a liberdade que Cristo nos libertou, Jesus libertador! É para a liberdade que Cristo nos libertou.

 

C2 – A Palavra de Deus é luz em nosso caminho: Ela nos orienta, nos educa, nos revela o desejo de Deus: “Eu vim para que todos tenham vida e a tenham em abundância”. Acolhamos a Palavra, juntamente com a cruz, a vela e a corda que será utilizada para nossa reflexão.

 

CANTO: Eis o tempo de conversão! Eis o dia da salvação! Ao Pai voltemos, juntos andemos. Eis o tempo de conversão – 1. A Palavra do Senhor é a luz do meu caminho. Ela é vida, é alegria, vou guardá-la com carinho. Sua lei, seu mandamento é viver a caridade. Caminhemos todos juntos construindo a unidade.

 

PROCLAMADOR: Mt 4,1-11: Jesus é tentado no deserto.

 

CANTO: Eis o tempo de conversão! Eis o dia da salvação! Ao Pai voltemos, juntos andemos. Eis o tempo de conversão – 1. Os caminhos do Senhor são verdade, são amor. Dirigi os passos meus, em Vós espero, ó Senhor! Ele guia ao bom caminho, quem errou e quer voltar. Ele é bom, fiel e justo. Ele busca e vem salvar.

 

C1 – Jesus é tentado no deserto... o que são para nós as tentações? Certamente, tudo aquilo que nos afasta de Deus e dos irmãos. Jesus vence as tentações... Como vencer as nossas tentações? Jesus nos ensina que é permanecendo fiel ao projeto do Pai. Ele dá a garantia de que também nós podemos vencer as tentações.

 

Leia mais...

Hiperatividade: quando é patológico e quando não é

CRIANCA-HIPERATIVAHiperatividade: quando é patológico e quando não é

            Atualmente é muito comum as pessoas diagnosticarem uma agitação excessiva como hiperatividade. Existe sim a hiperatividade patológica. Esta é uma doença diagnosticada e denominada na medicina como desordem do déficit de atenção. Porém existe aquela agitação e falta de limites de fundo emocional e psicológico que é muitas vezes confundida com a patologia e diagnosticada por pais e familiares de forma errada. Mas como saber diferenciar a patologia da agitação de fundo emocional?

            A patologia da hiperatividade está presente em crianças, adolescentes e adultos. A criança hiperativa tem dificuldade de prestar atenção, de se concentrar e, por vezes, age com impulsividade. Não tem capacidade de aprendizagem muito diferente às demais, porém devido a sua falta de concentração, acaba por ter problemas de comportamento e aprendizagem na escola. Não consegue ficar muito tempo no mesmo lugar, é muito curiosa e demonstra grande dificuldade para parar e ouvir. É perceptível sua desordem emocional e sua dificuldade de organização. É muito ansiosa e quer fazer muitas atividades ao mesmo tempo sem terminar efetivamente nenhuma delas.

            Quando tais sintomas são percebidos tanto em casa quanto na escola, deve-se procurar ajuda médica para verificar se realmente é hiperatividade. Em caso afirmativo, há tratamento medicamentoso e psicológico em alguns casos. A medicação agirá para equilibrar a desordem e garantir um pouco mais de tranquilidade e concentração à pessoa com tal disfunção ou distúrbio biológico.

            Contudo, faz-se necessário observar e detectar se, ao invés de caso de hiperatividade patológica, não é um distúrbio emocional que se desenvolveu por algum motivo específico ao longo da vida da criança que, por mecanismo de defesa, apresenta sintomas de hiperatividade, como agitação e falta de concentração. Muitas vezes tais sintomas são um alerta de que algo não está equilibrado na vida dessa criança. Algum problema familiar ou uma simples falta de espaço para brincar ou alguns “nãos” que deveriam ter sido dados em determinadas situações pelos pais e que não foram dados. A falta de limites muitas vezes é confundida com hiperatividade.

            Nestes casos, o mais adequado é tratamento terapêutico familiar ou psicológico para averiguar quais são as dificuldades do momento e porque a criança está agindo assim. A busca das causas do problema e a atuação para que ele seja solucionado, faz com que a pessoa volte a ter uma vida normal e equilibrada.

            Perceber que “dar limites é dar amor” é fundamental hoje em dia. A falta de tempo e atenção para com os filhos gera sentimento de culpa e frustração nos pais que acabam, para suprir necessidades de carinho e atenção, dando tudo o que a criança quer e fazendo todas as suas vontades. Não é este o caminho mais adequado para a formação integral de um ser. Sabe-se que não existe uma receita perfeita e igual para se criar filhos corretamente. O caminho é feito por um passo de cada vez. A beleza do ser humano está em voltar atrás e tentar melhorar. Com as crianças esse processo é contínuo. O que não é adequado é pensar que, realizando todos os desejos dos pequenos, estamos sendo ótimos pais. Pelo contrário, estamos criando crianças ansiosas, descontentes, consumistas, com baixa autoestima e não preparadas para a frustração.

            O ideal é dar atenção e carinho por mais difícil que isto seja após um longo dia de trabalho. Olhar nos olhos do filho, perguntar e ter tempo para escutar o que ele fez e descobriu no dia e, sobretudo, perceber quando algo está errado ou diferente de como deveria estar e, por isso, procurar ajuda é fundamental para acertar na educação dos pequenos. 

História da Música em Palotina

helenaAbrindo a série de reportagens especiais da coluna Universo Musical, apresenta-se hoje a você caro leitor, um pouco da história da música em Palotina. “A música está na história desta cidade”, é o que diz a Irmã Helena Pimenta, da Congregação Religiosa das Irmãs Palotinas, que começaram seus trabalhos neste município ainda no tempo em que este local fora recém desbravado e aqui continuam até hoje realizando trabalhos de evangelização.

Irmã Helena e a música em sua vida – “Quando eu era pequena via minhas irmãs cantando e tinha comigo, que eu também queria fazer aquilo e então, fazíamos em casa brincadeiras utilizando-se de materiais para serem nossos instrumentos musicais e sempre fui muito ligada ao meu pai que tinha o sonho de tocar cavaquinho, estas foram as duas grandes motivações que tive para querer seguir na música e assim foi com o tempo, até que comecei a cantar na igreja”, conta Ir. Helena. Aos 14 anos sentiu o desejo de ser irmã e assim depois de ter trabalhado como doméstica em uma casa, ingressou na casa de formação. “Nessa época perguntei a um conhecido se era difícil tocar violão, ele disse que era muito difícil e então eu disse para mim mesma: “é por ser difícil que vou aprender”, e assim o fez.

Faculdade – Nos anos 2000, tendo já uma caminhada na vida religiosa, por incentivo das Irmãs Palotinas, iniciou um curso de Licenciatura em Música que durou quatro anos, até 2004, na Universidade Federal de Santa Maria, no Rio Grande do Sul. “Neste tempo tive contato com o universo da música erudita e a oportunidade de participar como ouvinte de muitas audições no Teatro 13 de Maio, em Santa Maria e por causa da faculdade aprendi a analisar, interpretar e valorizar os vários gêneros e estilos musicais.

Projetos – Durante este tempo da faculdade Irmã Helena recorda que participou de diversos projetos educacionais com foco centralizado na música. “Fiz parte do projeto Canto e Desencanto que tinha como proposta perceber como a música é trabalhada nos mais diversos pontos, e fazer um resgate do verdadeiro valor da música, como objeto principal de atividades e não secundário”, diz. Irmã Helena, porém, não trabalhou com música somente nos quatro anos de faculdade ou posterior a isso. “Entre 1993 e 1997, em Florianópolis fiz um trabalho com crianças carentes dentro do setor de educação musical do projeto Oficinas do Saber, trabalho esse, de cunho religioso. “Esse momento foi muito bom, pois ajudou a amadurecer meu pensamento em mais tarde cursar Música”, recorda.

Roma – Passado alguns anos, por ordem da Congregação das Irmãs Palotinas, Irmã Helena foi enviada para um curso de formação sobre espiritualidade palotina, em Roma, na Itália. “Depois de ter realizado esses projetos, eu precisava voltar para casa e a casa também espiritual, e aceitei fazer este curso, e deste tempo de estudos, vinham muito forte as inspirações para a composição de músicas, chegando ao Brasil, em julho de 2006, fiz então a gravação deste trabalho com lançamentos em Santa Maria e em Palotina. As músicas eram orantes e na época foi denominado Infinito Amor, e tinham relação com São Vicente Pallotti.

Quatro anos mais tarde – Após a gravação deste primeiro trabalho, em 2010, Ir. Helena gravou o segundo CD chamado Acordes Palotinos, em composições conjuntas com lideranças leigas palotinas, também de cunho religioso em que as canções expressavam fortemente a espiritualidade, obra, vida e carisma de São Vicente Pallotti. Atualmente, Irmã Helena trabalha em Itapejára d’Oeste e suas atividades estão ligadas à música litúrgica, Infância Missionária e formação de jovens que tem o desejo de se tornar religiosas. Dentre outros planos, Irmã Helena quer fazer a gravação de um terceiro CD com músicas de cunho missionário.

Pensamento sobre música religiosa e recado de Irmã Helena aos músicos - “A música religiosa ajuda a voltarmos para o foco da nossa vida que é Deus, e ela (a música), é meu caminho de evangelização. Continuem acreditando no valor da música, como instrumento formativo, que muito contribui para o crescimento e desenvolvimento integral da pessoa.”

Daniel Werle/Folha de Palotina

Mais Artigos...

Página 1 de 26

Início
Anterior
1